diario1.png
  • Roni Carlos Costa Dalpiaz

QUE TAL UM TURISMO PEDAGÓGICO, AÍ?

Para entender porque os turistas, em certas cidades, são maltratados ou recebem informações pela metade ou erradas, podemos começar pelo aprendizado turístico da população.


Como alguém vai receber um visitante de bom grado se não compreende nada além do dinheiro que este traz consigo. Como alguém dará uma informação correta ou completa sobre rua, atrativo turístico, hotel, restaurante, se não conhecer esses lugares. E além disso apreciá-los e tê-los como seus! O sentimento de pertencimento.

O que mais me dói como profissional da área do turismo, é que a população (vou generalizar, mas tem exceções) não se vê integrante da economia turística da cidade de Torres. Para isso só marketing externo ou interno não basta. Deve-se ter algo mais profundo, mais abrangente, mais fundamental. Deve-se fazer um trabalho a longo prazo, mas com solidez. E este trabalho deve ser feito na base da população, que são as crianças.

Um instrumento facilitador desta aprendizagem é o Turismo Pedagógico, que promove o desenvolvimento do conhecimento dos alunos, através de atividades práticas, valorizando ainda o local onde são praticadas. Ele motiva a aprendizagem dos estudantes através de atividades práticas, onde os alunos têm a oportunidade de além de aprender, vivenciar momentos prazerosos, fugindo da rotina escolar.

O ensino do turismo pedagógico propõe atividades diferenciadas das convencionais, sugerindo aos alunos maior vontade de aprender, tornando assim o processo de ensino mais agradável, despertando o interesse dos alunos e motivando os professores, além de demonstrar a realidade de uma região.

Através de aulas passeio, os alunos têm a oportunidade de obter experiências que agregam para o conhecimento teórico da sala de aula, que são importantes para os estudantes e para a comunidade, onde todos têm a oportunidade de adquirir e desenvolver seus saberes.

Estas atividades extracurriculares possibilitam o desenvolvimento de um trabalho de conscientização da importância da valorização dos atrativos turísticos dos municípios, da cultura de comunidades, de seus valores históricos e ambientais.

E com a interdisciplinaridade, é possível desenvolver projetos que atinjam diversas disciplinas, trazendo-os para a realidade dos alunos, ligando com os conteúdos curriculares, que serão enriquecidos no turismo cultural, ambiental e histórico.

“O Turismo Pedagógico é uma maneira de oferecer aos estudantes a oportunidade de conhecer melhor uma determinada região por meios de aulas práticas no próprio destino receptor. ” Neste contexto percebe-se que relacionar atividades propostas dentro do currículo da escola e desenvolve-las na localidade em que os alunos vivem, enriquece o conhecimento dos estudantes além de abordar valores de preservação e cidadania. A partir da convivência com o meio em que vivem, os alunos acabam criando vínculos, que conduz ao respeito no desenvolvimento local.

No Turismo Pedagógico, o aluno desde cedo aprende que o lugar onde mora tem História, tem belezas naturais que podem ser exploradas e vivenciadas de forma planejada e orientada, o que favorece a educação e preservação, cria identidade e orgulho de ser comunidade.

Ao visitar os Atrativos Turísticos do Município, os estudantes ampliam e enriquecem seus conhecimentos de forma mais agradável, pois propõe atividades diferenciadas das convencionais.

Nosso município já teve uma disciplina de turismo como obrigatória no ensino fundamental, mas foi retirada. Talvez, a secretaria de educação possa ter sensibilidade e novamente colocar, de forma planejada, esta disciplina no currículo do ensino fundamental e médio. Não da forma como era feita, mas com o auxílio do Turismo Pedagógico. É uma ideia, uma semente, uma provocação de mudança, quem sabe?


Fonte: TCC de Emanuele de Paris. Turismo Pedagógico no município de Pinhal-RS.


1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo